Como funcionam?

Os antiplaquetários impedem a formação de coágulos sanguíneos nas artérias. Os coágulos sanguíneos nas artérias do coração e do cérebro podem causar um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral.

Embora os antiplaquetários sejam frequentemente referidos como diluentes do sangue, na verdade não permitem que o sangue circule mais livremente nos vasos sanguíneos.

A aspirina é o medicamento antiplaquetário mais comum. A dose de aspirina para evitar coágulos sanguíneos é muito mais reduzida do que a dose utilizada para o alívio da dor. Tomar uma dose mais elevada de aspirina não a torna mais eficaz, mas aumenta o risco de efeitos secundários. Por isso, tome a dose recomendada pelo seu médico.

Efeitos secundários

A maioria das pessoas não apresenta efeitos secundárias com uma dose reduzida de aspirina. Os benefícios da aspirina superam normalmente o baixo risco de desenvolver efeitos secundários. Os efeitos secundários possíveis mais graves, que só afetam um número reduzido de pessoas, incluem irritação no estômago ou hemorragia e, muito raramente, alergia à aspirina.

Os novos medicamentos antiplaquetários, como o clopidogrel, poderão causar menos irritação no estômago.

Principais sugestões

Para reduzir o risco de irritação no estômago, recomenda-se que tome estes medicamentos durante ou após as refeições.

Se tomar uma dose reduzida de aspirina para prevenir coágulos sanguíneos e tiver de tomar um analgésico (por exemplo, para dores de cabeça) tome um paracetamol em vez de uma dose mais elevada de aspirina.

Também conhecido por:

  • Aspirina
    (Gencardia®, Micropirin®, Angettes 75®, Caprin®, Nu-Seals®, Albyl®)
  • Clopidogrel
    (Plavix®)
  • Ticlopidine
    (Ticlid®)
  • Dipyridamole
    (Persantin®, Persantin Retard®), Produtos combinados (Asasantin Retard®)

Voltar à secção Medicamentos para a insuficiência cardíaca