Como funciona?

Alguns doentes com insuficiência cardíaca avançada podem não ser elegíveis para um transplante cardíaco. Além disso, nem sempre estão disponíveis corações de dadores e alguns doentes podem ter de esperar anos até encontrarem um dador compatível. O suporte de circulação mecânica ou MCS, na sua sigla em inglês, é uma forma de melhorar a circulação do sangue no corpo com uma bomba cardíaca designada por dispositivo de assistência ventricular (DAV). Os DAV ajudam o coração lesionado a bombear sangue para o corpo. Não se destinam a substituir o coração e o seu coração continuará a funcionar.

Os DAV ajudam a suportar a função normal do coração, prolongam a vida e melhoram a qualidade de vida das pessoas que sofrem de insuficiência cardíaca avançada. Um DAV pode ser utilizado em suporte a curto prazo como ponte para transplante (PPP), o que significa que pode ajudar um doente a sobreviver até ficar disponível um coração compatível ou pode ser utilizado como terapia de destino (TD), que permite a assistência a longo prazo em doentes que não são elegíveis para transplante cardíaco.

Os DAV são utilizados por três razões principais:

  • Para manter os doentes vivos até ser encontrado um dador para o transplante. Se for este o caso, o DAV é utilizado como uma ponte para o transplante.
  • Para deixar o coração «repousar» e recuperar algum do seu funcionamento normal. Nos doentes com alguma recuperação cardíaca, o dispositivo pode ser removido e pode não ser necessário um transplante cardíaco. Se for este o caso, o DAV é utilizado como uma ponte para a recuperação.   
  • Para suportar a circulação durante uns anos. Esta é normalmente a opção para alguns doentes que estão demasiado doentes para um transplante cardíaco. Neste caso, o DAV é utilizado como terapia de destino.

Os DAV foram aprovados para utilização na Europa há mais de uma década. A terapia DAV aumentou a sobrevivência e a qualidade de vida de doentes com insuficiência cardíaca avançada. Os novos dispositivos são mais pequenos, mais silenciosos e duram mais tempo. Houve casos de doentes que viveram vários anos com um DAV enquanto esperavam por um coração de um dador compatível.    

Quase todos os DAV são compostos por três partes:

  • Uma bomba implantada no corpo (DAV implantável) ou colocada fora do corpo (DAV externo ou paracorpóreo)
  • Um controlador do sistema que permanece fora do corpo e é utilizado para programar as definições do DAV     
  • Uma fonte de energia externa para a bomba, quer uma consola ou uma bateria.

O DAV é uma opção de tratamento para determinados doentes com insuficiência cardíaca em fase terminal. O seu médico determinará se um DAV é o tratamento apropriado para si.

Onde é colocado e como funciona?

A implantação de um DAVE num doente requer um procedimento cirúrgico com anestesia geral. O cirurgião cardíaco ligará o dispositivo ao ápice do ventrículo esquerdo e implantará uma cânula na aorta para retirar o sangue do ventrículo e injetá-lo novamente na circulação geral (DAV esquerdo) ou na artéria pulmonar (DAV direito), aumentando o fluxo sanguíneo no seu corpo e melhorando a perfusão dos órgãos.

Após o procedimento

São geralmente necessários alguns dias na unidade de cuidados pós-operatórios, seguidos por uns dias na enfermaria para controlar a utilização do dispositivo. Depois, é geralmente proposto um programa de reabilitação para melhorar a capacidade de exercício. Os possíveis efeitos adversos poderão incluir: hemorragia intracirúrgica, infeção, embolia e funcionamento incorreto do dispositivo. O DAV foi concebido para funcionar durante um longo período de tempo. O dispositivo irá alertá-lo se existir um problema. O hospital irá ensiná-lo a si, e aos seus familiares, a compreender o dispositivo e os respetivos alarmes.

Ter um DAV requer alguns ajustes para si e para a sua família. A gestão das baterias é simples. Apesar do importante progresso técnico, continua a ser necessário um cabo percutâneo (condutor) que liga a bomba interna ao controlador externo e o penso da saída requer especial atenção para evitar infeções. Poderá ter de continuar a tomar alguns medicamentos para a insuficiência cardíaca e a terapia anticoagulante. No entanto, a maior parte das pessoas que tem um DAVE consegue viver em casa, movimentar-se livremente, apreciar as suas atividades preferidas e mesmo voltar ao trabalho ou à escola. Muitos doentes com DAVE também descobrem que têm mais energia do que antes, porque existe mais sangue rico em oxigénio em circulação no organismo. Para mais informações, fale com o seu médico ou enfermeiro no hospital.

Voltar à secção Dispositivos