Na qualidade de prestador de cuidados, é muito fácil depositar toda a sua energia, esforço e atenção nos cuidados ao seu cônjuge ou familiar, correndo o risco de pôr de parte as suas próprias necessidades e emoções. Como cada pessoa é única, as respostas emocionais às situações dependerão bastante do indivíduo, mas é possível que tenha sentido as emoções abaixo descritas no seu papel enquanto prestador de cuidados:

  • Poderá sentir que tem de se mostrar sempre positivo, alegre e otimista, mesmo quando está a debater-se com determinados assuntos.
  • Poderá ter tendência para reprimir as suas emoções, o que poderá eventualmente causar problemas de saúde ou elevados níveis de depressão.
  • Poderá sentir-se ansioso por não ter a certeza do que acontecerá ao seu cônjuge ou familiar ou porque se sente responsável pela saúde dele. Se o seu cônjuge ou familiar também estiver muito ansioso, é difícil não se sentir também ansioso.
  • As circunstâncias podem fazer com que sinta ressentimentos. Poderá sentir-se frustrado relativamente às mudanças na sua vida ou ressentido com o seu cônjuge ou familiar por ser "a causa" destas mudanças. Além disso, se o seu cônjuge ou familiar também andar irritável e não cooperar, poderá ter ressentimentos por não lhe ser dado valor por tudo aquilo que está a fazer.
  • Poderá sentir-se zangado, porque o seu cônjuge ou familiar tem insuficiência cardíaca. Poderá perguntar-se por que motivo lhe aconteceu e sente-se zangado com a vida ou mesmo com o seu cônjuge ou familiar por não ter evitado, se tivesse deixado de fumar ou se tivesse seguido os conselhos do médico. Poderá sentir-se culpado por ter esses sentimentos de raiva e ressentimento.
  • Poderá pensar que tem de ser forte pelos dois e ao sentir-se assim, considera que está a trair de alguma forma o seu cônjuge ou familiar.
  • Em algumas ocasiões, poderá sentir todas estas emoções num curto espaço de tempo. Num dia poderá estar otimista e sentir que a situação está controlada e no dia seguinte poderá sentir-se muito deprimido e inseguro. Por vezes, poderá sentir-se isolado e que ninguém consegue compreender o que está a passar.

Mas o certo é que não é único com estas emoções. Poderá ser útil falar com pessoas em situações semelhantes. Clique aqui para obter mais informações sobre redes de apoio para prestadores de cuidados.