A insuficiência cardíaca é diferente de doente para doente e as partes do coração afetadas, os sintomas resultantes e o curso temporal do início da insuficiência cardíaca podem variar muito. Por este motivo, são utilizados diferentes termos médicos para descrever exatamente os diferentes tipos de insuficiência cardíaca. É muito importante definir o tipo e a causa da insuficiência cardíaca uma vez que ambos determinam o tratamento. Poderá ser difícil fazer um diagnóstico exato visto que os sistemas poderão ser muito semelhantes, por exemplo, todos os tipos de insuficiência cardíaca causam falta de ar, fadiga e alguma congestão, normalmente nos pulmões, mas também noutras partes do organismo como no fígado, intestinos, rins e membros inferiores.

A insuficiência cardíaca aguda desenvolve-se de forma repentina e os sintomas são inicialmente graves. A insuficiência cardíaca aguda poderá seguir-se a um ataque cardíaco que causou lesões numa área do coração. Também poderá ser causada pela incapacidade súbita do organismo compensar a insuficiência cardíaca crónica. Se desenvolver insuficiência cardíaca aguda, poderá ser inicialmente grave mas poderá ter uma duração curta e melhorará rapidamente. Geralmente, requer uma terapêutica e administração de medicação por injeção (intravenosa).

A insuficiência cardíaca crónica é muito comum. Os sintomas aparecem lentamente ao longo do tempo e agravam-se gradualmente.

Quando os sintomas, como a falta de ar, se agravam num período de tempo muito curto num doente com insuficiência cardíaca crónica, isso é designado um episódio de descompensação grave. Frequentemente, esses episódios requerem tratamento no hospital e por conseguinte, devem ser evitados. O website Heartfailurematters.org pode ajudá-lo a evitar hospitalizações.

Tenha em conta que a insuficiência cardíaca poderá ser causada ou agravada pelo ritmo cardíaco irregular ou por um batimento cardíaco rápido uma vez que impede o enchimento correto dos ventrículos. É importante detetar esses fatores desencadeadores para os tratar e evitá-los no futuro.

A insuficiência cardíaca no lado esquerdo significa que a força da câmara esquerda do coração, que bombeia sangue pelo organismo, está reduzida. Por conseguinte, a câmara esquerda deve funcionar mais para bombear a mesma quantidade de sangue.

Existem dois tipos de insuficiência cardíaca do lado esquerdo:

  • Insuficiência sistólica: a câmara esquerda não tem força para empurrar sangue suficiente para a circulação.
  • Insuficiência diastólica: a câmara esquerda não relaxa normalmente, porque o músculo se tornou mais rígido e o enchimento é reduzido.

O termo fração de ejeção é utilizado para descrever a força e a capacidade das câmaras esvaziarem com cada batida. Pode ser medida de várias formas, mas utiliza-se normalmente uma ecocardiografia. Se a capacidade de bombeamento da câmara de bombeamento principal for reduzida, é normalmente referida como ICFER ou Insuficiência Cardíaca com Fração de Ejeção Reduzida. Se o principal problema for o relaxamento anormal durante a diástole, que reduz o enchimento, é frequentemente utilizado o termo ICFEP ou Insuficiência Cardíaca com Fração de Ejeção Preservada. Muitas vezes existe uma sobreposição entre ambas pois têm um enchimento e esvaziamento reduzidos.

Na insuficiência cardíaca do lado direito, a câmara ou o ventrículo de bombeamento direito, que bombeia sangue para os pulmões, está comprometido. Isto poderá dever-se a uma lesão muscular, como um ataque cardíaco localizado no ventrículo direito, lesões nas válvulas no lado direito do coração ou pressão elevada nos pulmões.

No entanto, a insuficiência cardíaca afeta normalmente ambos os lados do coração e nesse caso, designa-se por insuficiência cardíaca biventricular.