Nick, Netherlands
Nick, Países Baixos
Apreciar a vida novamente.

O meu nome é Nick e nasci em 1940 nos Países Baixos. Era saudável, com um índice de massa corporal normal e era bastante ativo, fazia remo e jogava ténis, 6 horas por semana. Embora estivesse reformado, ainda trabalhava um dia e meio por semana, como professor universitário, depois de ter ocupado cargos gerais de gestão até à reforma.

Nos últimos seis meses de 2006 comecei a sentir-me mais cansado e, ocasionalmente, sentia dores no peito. A dor foi atribuída a problemas de estômago e pensei que o cansaço era causado pelo trabalho físico pouco comum que estava a fazer na altura (estava a recuperar o apartamento da minha filha). Nunca se pensou em problemas cardíacos, porque não me sentia cansado nem tinha outros sintomas quando estava no ativo.

Por isso foi um grande choque quando fiquei internado com um ataque cardíaco que tinha passado despercebido e tinha a artéria coronária esquerda totalmente obstruída e a direita com uma obstrução entre 70 e 80%. Senti-me traído pelo meu corpo e tinha medo de morrer ou de ficar inválido. Apesar de me terem colocado dois stents e de a minha fração de ejeção ser inferior a 40%, voltei ao trabalho e pratico desporto seis horas por semana, sem notar grandes diferenças em relação ao que era antes. O meu cardiologista e o departamento de insuficiência cardíaca tiveram bastante cuidado ao ajustar a minha medicação, porque no início sofri vários efeitos secundários.

As minhas atividades sociais são afetadas por alterações do ritmo cardíaco, que se desenvolveram depois do ataque cardíaco e são mais evidentes em repouso. O meu limite é estar duas horas numa festa e só aguento quatro horas de trabalho de escritório, porque estas alterações tornam-se muito incómodas. Contudo, consigo organizar as minhas atividades para que os meus familiares, amigos e eu próprio possamos aproveitar. Os meus hábitos alimentares também mudaram. Agora faço refeições com menos sal e gordura e por isso perdi 8 kg. Aprecio uma boa refeição e, com alguns cuidados, as refeições são tão saborosas como antes.

Com algumas adaptações, a vida voltou a ser um grande prazer.

Clique nos nomes abaixo para ler outras histórias.

Theo, Países Baixos
François, França