Como funcionam?

Diuréticos ajudam o organismo a eliminar o excesso de líquidos, estimulando os rins a produzir mais urina. Verificará que sente vontade de urinar com maior frequência quando os toma, mas não deverá preocupar-se. Poderá ter de planear as suas viagens em conformidade com o horário dos medicamentos ou por vezes, é possível alterar a hora que toma os comprimidos. Fale com o seu médico sobre isso. A eliminação do excesso de líquidos deverá facilitar o processo ao coração, tendo em conta que existe menos líquido para bombear no organismo. Isto deverá aliviar a congestão pulmonar, facilitando a respiração. Inchaço (Edema) nas pernas e noutras partes do corpo também deverá desaparecer. Isto poderá resultar na perda de peso.

Quais são os benefícios esperados?

Os diuréticos aliviarão os sintomas da insuficiência cardíaca e, em particular, reduzirão a falta de ar e o inchaço causado pela retenção de líquidos.

Efeitos secundários

A utilização de diuréticos a longo prazo pode causar a perda de potássio, um sal que é necessário para o organismo funcionar corretamente. É por isso que o seu médico monitorizará os seus níveis de potássio através de análises ao sangue regulares e poderá aconselhá-lo a consumir mais alimentos que contêm potássio.

Os diuréticos também poderão fazer com que tenha vontade de urinar com mais frequência. Se tomar doses muito elevadas de diuréticos, poderá ficar desidratado e sentir tonturas.

Principais sugestões

É boa ideia pesar-se diariamente e registar o peso para comunicar ao seu médico ou enfermeiro. Isto irá ajudá-lo a controlar se está a perder muitos ou poucos líquidos, para se ajustar a dose do diurético, se necessário.

Algumas pessoas preferem tomar os diuréticos de manhã, para que a necessidade de urinar ocorra maioritariamente durante o dia. Se os tomar à noite poderá ter de interromper o sono.

Também conhecidos por:

  • Amilorida
    (Amilamont®, Midamor®)
  • Bendroflumethazide / bendrofluazide
    (Aprinox®, Neo-NaClex®)
  • Bumetanide
    (Bumex®)
  • Clorotiazida
    (Diuril®)
  • Chlortalidone
    (Hygroton®)
  • Cyclopenthiazide
    (Navidrex®)
  • Eplerenone
    (Inspra®)
  • Furosemide / frusemide
    (Froop®, Frusid®, Rusyde®, Frusol®, Lasix®)
  • Hidroclorotiazida
    (HydroDIURIL®)
  • Indapamide
    (Natrilix®, Apo-Indapamide®, Arifon®, Bajaten®, Cormil®, Damide®, Fludex®, Gen-Indapamide®, Idapamide®, Indaflex®, Indamol®, Indapamida®, Indapamidum®, Ipamix®, Lozide®, Lozol®, Natrilix®, Natrix®, Noranat®, Novo-Indapamide®, Nu-Indapamide®, Pressurai®, Tandix®, Tertensif®, Veroxil®)
  • Metolazone
    (Metenix®, Zaroxolyn®)
  • Polythiazide
    (Renese®, Minizide®, Nindaxa®, Natrilix SR®, Nephril®)
  • Spironolactone
    (Aldactone®)
  • Torsemide / torasemide
    (Demadex®, Torem®)
  • Triamterene
    (Dytac®, Dyrenium®)
  • Xipamida
    (Diurexan®)
  • Agentes combinados
    (Moduret®, Amil-Co®, Moduretic®, Navispare®, Frumil LS®, Froop-Co®, Fru-Co®, Aridil®, Burinex A®, Triam-Co®, Dytide®, Kalspare®, Frusene®, Aldactide®, Lasilactone®, Burinex K®, Centyl K®, Diumide-K®, Lasikal®, Neo0NaClex-K®, Dyazide®)

Animação

 
How diuretics work in heart failure Animation explaining how diuretics
funcionam na insuficiência cardíaca

Voltar à secção Medicamentos para a insuficiência cardíaca